SACERDOS ET HOSTIA

“… estas palavras foram minha vida na terra

e espero que serão minha glória no céu”.

Venerável Monsenhor José María García Lahiguera

(1903 – 1989)

– Uma vida a serviço dos sacerdotes –

Nasceu em Fítero em 09 de março de 1903 e foi batizado no mesmo lugar, três dias depois de seu nascimento. Sempre fiel à ação do Espírito Santo, chegou ao sacerdócio já deixando pegadas de sua grande virtude no Seminário de Madri. Foi ordenado sacerdote em 29 de maio de 1926.  Em seguida se fez patente seu zelo sacerdotal e foi requisitado para a direção espiritual dos seminaristas.

Nesse ministério entregou totalmente sua vida e marcou seu especial carisma: a santidade sacerdotal.

Durante a Guerra Civil deu origem, como co-fundador, com a M. María del Carmen Hidalgo de Caviedes, em 1938, a uma obra contemplativa feminina, cujas almas oferecem suas vidas pela santificação dos sacerdotes e de Igreja.

Nomeado Bispo Auxiliar de Madri (29 de outubro de 1950), manteve seu ideal de santidade sacerdotal na pregação, no aconselhamento e na direção espiritual dentro da diocese e fora dela. Vigário e visitador de religiosas infundiu espírito e guiou paternalmente as Comunidades.

Em 1964 foi nomeado Bispo de Huelva e ali seguiu infatigável derramando seu espírito, especialmente no seu seminário e na atenção cordialíssima aos seus sacerdotes.

Nomeado Arcebispo de Valência (1969) transbordou sua entrega até ficar provado com a cruz, silenciosamente levada, de sua enfermidade. Esta enfermidade não diminui seu zelo apostólico e sua doação plena, chegando inclusive ao heroísmo em muitas ocasiões.

Venerável Lahiguera com suas filhas espirituais, Oblatas de Cristo Sacerdote

Retirado, em fim, cumpridos os 75 anos, a Casa Mãe da Congregação de suas filhas, as Irmãs Oblatas de Cristo Sacerdote, encheu seus dias de oração e oblação por seus queridos sacerdotes e pela Igreja, no desgaste amoroso de seu ser, enquanto continuava sendo conselheiro, pai e exemplo vivo de santidade sacerdotal.

Seu espírito encheu de amor ao sacerdócio uma multidão de almas. E o exemplo de santidade sacerdotal que deixou é riqueza da Igreja e tesouro de graça, sobretudo para os chamados ao ministério santo.

Morreu com fama de santidade em Madri, em 14 de julho de 1989. Seu corpo repousa no oratório da Casa Mãe das Irmãs Oblatas de Cristo Sacerdote.

No ano 1995, abre-se o processo sobre sua vida e fama de santidade em vista a sua beatificação e canonização. E em 22 de setembro de 2000, o cardeal arcebispo de Madri, Mons. Antonio María Rouco Varela declara encerrada a fase diocesana de seu processo de canonização. Em 25 de janeiro de 2002, a Congregação para a Causa dos Santos outorga o decreto de validez de sua causa de beatificação e canonização.

Em 27 de julho de 2011, foi declarado Venerável pelo Papa Bento XVI.

 

ORAÇÃO

Pai Santo, fonte de toda santidade, que dignaste outorgar a plenitude do sacerdócio ao teu  filho fiel José María, identificando-o assim com Jesus Cristo, Sumo e Eterno Sacerdote;  agora humildemente te rogamos, conceda-nos a graça que suplicamos, confiantes em sua eficaz intercessão, a fim de que um dia a Igreja, a quem tanto amou e serviu com a entrega total de sua vida, o eleve a honra dos altares para glória de teu nome. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém

Pai Nosso, Ave Maria e Glória

(Com licença eclesiástica. Para devoção privada)

Em conformidade com os decretos de Urbano VIII

em nada se pretende prevenir ao juízo da Igreja.

 Esta oração não tem finalidade alguma de culto público.


Para comunicar qualquer graça recebida ou entregar donativos:

Oblatas de Cristo Sacerdote

General Aranaz, 22 – 28027 Madri (Espanha)

www.oblatasdecristosacerdote.com