Os Doze Encantos do Amor Divino

Serva de Deus Madre Maria Angélica Álvarez Icaza

“Altíssima União divina que foi uma das mais elevadas que Deus, em sua bondade, me concedeu. Explicarei hoje algum de seus encantos que aqui reduzo a doze:

 1º. Encanto inefável da união divina: é sentir a Deus agindo na alma como Dono absoluto que a toma, colhe e une consigo, com um império de Senhor, uma soberania de Rei, um poder de Deus, um encanto muito maior que aquele que – ai!-  não é o que tem ou deveria ter sobre todas as almas, porque não é o império absoluto que como Criador tem sobre suas criaturas, é uma soberania de amor…

2º. Encanto inefável da união divina: é a delicadeza que Deus usa com a alma porque como finíssimo Amante, de certa maneira pede para isso consentimento da alma, o que não contradiz o anterior, porque esta extraordinária finura não diminui sua excelsa soberania.

3º. Encanto inefável da união divina: é sentir a Deus enamorado, que no excesso de seus amores mesmo sendo infinito se esgota, por assim dizer, pois se dá a Si mesmo fazendo-se um com a alma; não pode haver  maior dom.

4º. Encanto inefável da união divina: é Deus mostrar-se tão apaixonado pela alma, que se diria, que não consegue desprender-se dela.

5º. Encanto inefável da união divina: é o amor com que a alma corresponde a Deus, amor que em seus divinos excessos se manifesta de diversas maneiras: algumas vezes esse amor a emudece, ficado atônita e suspensa… em outras, responde inflamada grandíssimamente de amor com vivo fogo; em outras (isto é sublime) sentindo a Deus enamorado – ai! – parece que se desentende e sentindo seu Amante no auge de seus amores se deixa amar. Deleite inefável, sentir a Deus enamorado e deixar-se amar.

6º. Encanto inefável da união divina: é verificar-se me um abismo profundo: os aniquilamentos do Verbo, os aniquilamentos da alma.

7º. Encanto inefável da união divina: é a ferida que produz na alma, a qual é tão doce, que ela não sabe dizer se é mais desejável esta chaga amorosa produzida pela união, ou a própria união.

8º. Encanto inefável da união divina: é ao mesmo tempo, a infinita distância e suma proporção que há entre Deus e a alma. O Amor os uniu.

9º. Encanto inefável da união divina: é a desnudez da alma, desnudez que chega a tal ponto, que embriagada de delícias e entre os sublimes deleites, que necessariamente estão na união com a divindade, não reside nem goza neles, antes renunciando a eles, amorosamente quer que seja somente o Amado que se deleite, esquecendo-se de si mesma.

10º. Encanto inefável da união divina: é o especial conhecimento ainda que indefinível de Deus, e conjuntamente o conhecimento de que Deus se deleita comunicando-se à alma, e que em certa maneira ela lhe proporciona esse deleite.

11º. Encanto inefável da união divina: é a glória que dele resulta para para Deus, é o verdadeiro reinado de Deus na alma; a luz, a graça, a beleza de que deixa a alma inundada, não é senão sua própria glória.

12º. Encanto inefável da união divina: é a transformação total no Amado…”

Diário 26-VII-1915


Nesse belíssimo texto, saído da pluma e da alma da Serva de Deus Madre Maria Angélica, contemplamos a profundidade de sua experiência mística e de sua espiritualidade esponsal. Recomendamos também a leitura de outro texto da Madre Maria Angélica: “As doze propriedades da União Divina”.