casa_natale_flora

Casa Natal de Flora

A Venerável Flora Manfrinati nasceu na Bonifica Ferrarese – na Itália no verão de 1906. Um dia de julho, enquanto seguia os agricultores na fazenda dirigida pelo pai, se distanciou sem que ninguém percebesse; foi reencontrada pelos familiares, depois de angustiantes buscas, privada dos sentidos, exposta ao sol escaldante e os vapores do lugar. Sobre seu corpo, enegrecido, se abriram chagas que, ao invés de curar, se aprofundam sempre mais de modo inexplicável e perde sua visão.

Permanece cega por 7 anos e não pode frequentar a escola para aprender a ler e a escrever, nem mesmo quando recuperou a visão, que readquiriu de repente, mas sempre de modo muito limitado, quando já estava sobre a mesa operatória para remoção de um olho.

Apesar de tudo, no seu interior não havia entrado a tristeza. Esta alegria e juventude interior, que emanava do seu coração para as almas, foram a razão de seu irresistível fascínio.

Mais tarde rezou a “Querida Imaculada” que se fechassem as chagas que não podia esconder das criaturas, para não ser fastidioso. Tinha pedido “sofrer sem fazer sofrer” e o obteve, junto com “um pouco de luz para meus olhos que tanto sofriam”.

7151913_orig

Venerável Flora

Tinha 16 anos quando, enquanto estava na janela de Rottanova (VE), ouviu uma voz: “Tu és a Minha Esposa; eis a nossa família, o mundo”.

Em 1929, se mudou para o Piemonte, trabalhou na Ação Católica de Testona e de Moncalieri, foi fundadora de uma Creche em Palera e realizou iniciativas eucarísticas em vários lugares.

Durante a Guerra Mundial e nos anos sucessivos trabalhou no Oratório de São Miguel em Turim, mantido pelas Irmãs Missionárias da Consolata. Dedicou a ele dez anos de sua heroica atividade como simples leiga, sem fazer parte da Congregação religiosa, por sua iniciativa privada e por puro amor a Deus e as almas, salvando a Instituição e dando-lhe um novo reflorescer.

Os enfermos a conheceram como admirável consoladora, seja nos hospitais como nas peregrinações a Lourdes e a Loreto.

Foi conselheira e formadora de almas, nas quais sabia ler até o fundo, por especial carisma.

nostra_signora_universale

Nossa Senhora Universal

Dotada de particulares dons de Deus, viveu escondida a vida toda, nas ocupações mais humildes, que não a impediam de ditar páginas sublimes pela elevação dos pensamentos e preciosidade dos ensinamentos.

Morreu, entre indizíveis sofrimentos em 12 de março de 1954, abrindo os braços em Cruz como lhe havia sido predito, depois de ter deixado o patrimônio de suas riquezas espirituais a Família das Educadoras Apóstolas que tinha fundado em Turim, Via San Francesco de Paola, 42, sede da Obra de Nossa Senhora Universal.

Flora tinha definido a si mesma Filha de Nossa Senhora Universal descrevendo a Imagem e o nome.

Padre Giacomo Fissore I.M.C.

flora_e_lina_-_roma_1950

Lina e Flora em Roma, em 30 de outubro de 1950

A diretora Lina Prosa, “irmã no amor e na fé” da Venerável Flora e testemunha ocular de suas virtudes e da sua santidade foi, com o Padre Giacomo Fissore I.M.C., uma convicta defensora do seu Processo de Beatificação e Canonização. Empenhou energia e tempo para recolher documentos e testemunhos, recolheu os casos de muitas pessoas que conheceram Flora e foram por ela beneficiadas em vida.


Iter da Causa de Beatificação

  • 17.10.1960. O Cardeal Maurilio Fossati ordena a abertura do Processo Informativo Diocesano sobre a Fama de Santidade, Vida, Virtudes e Milagres de Flora para Glória de Deus e bem das almas.
  • 07.01.1976. O Cardeal Michele Pellegrino nomeia o Tribunal para retomar e encerrar o Processo Ordinário sobre a Fama de Santidade, Vida, Virtudes e Milagres de Flora Manfrinati.
  • 06.10.1989. O Cardeal Anastasio Ballestrero preside na Cúria de Turim a Sessão de Encerramento do Processo Informativo Diocesano.
  • 03.03.1995. É realizado com êxito favorável a Reunião Extraordinária dos Consultores Teólogos. Os Cardeais e Bispos Consultores, na Sessão Ordinária do subsequente 3 de outubro, sendo Relator da Causa o Excelentíssimo Monsenhor Ottorino Pietro Alberti, Arcebispo de Cagliari, reconhecem que Flora Manfrinati praticou as Virtudes Teologais, Cardeais e Anexas de modo heroico.
  • 12.01.1996. o Santo Padre João Paulo II e a Congregação para a Causa dos Santos emana o decreto sobre a heroicidade das virtudes da Serva de Deus Flora Manfrinati.

O Ensinamento

Flora nos ensina…

flora_manfrinatiFlora nos ensina a buscar as flores, isto é, a beleza espalhada por Deus na incessante produção de suas mãos, e nos ensina a procurar sempre a beleza belíssima que Ele é.

Ela nos ensina a descobrir a beleza no mistério do mundo, no mistério dos corações, no mistério de Deus, do Deus Beleza sempre antiga e sempre nova, Beleza de que toda beleza é reflexo resplandecente.

Flora nos ensina a buscar e a amar a verdadeira beleza, que é aquela nascida nela pela dor, com a aceitação, com a oferta, com o sacrifício e o holocausto de cada sofrimento, de cada adversidade e de cada paixão.

Flora nos ensina a aprender esta ciência, a ciência da Cruz, como ela aprendeu e praticou em todo o curso de sua existência, desde pequena e até a morte.

Flora nos ensina a amar sempre, e amar a todos, a encontrar a cada instante ocasiões e motivações, nos eventos e nas pessoas que encontramos, de amor.

Flora nos ensina a dar-se sobretudo à juventude, a ir a procura deles, a estar próximos a eles,  a gastar-se verdadeiramente pelo seu bem verdadeiro, sem imposição, com disposição a colaborar com delicada discrição para que se formem, cresçam e conduzam à realização do plano de Deus, que quer contemplar, em cada alma, uma obra prima de sua beleza e deu seu amor.

Mons. Luigi Maverna

(Arcebispo de Ferrara – Comacchio) – Mottatonda Nuova (FE)

 

As suas palavras

Tudo está em nossas mãos com a ajuda de Nossa Senhora.

Nos pensamentos, unamo-nos ao Pequeno Jesus; nos desejos à Jesus Eucaristia; na dor à Jesus Crucificado.

Seja a Hóstia Santíssima o centro de nossos olhares; seja a Eucaristia o centro de nossos afetos; seja a Cruz o centro de nossa meditação; a fim de que cada sacrifício em fazer o bem, não seja mais surpresa ou afã.

O Abandono em Deus dá força.

Através de Nossa Senhora; através de Nossa Senhora à Ele. Fizestes bem em me fazer amar primeiro o teu Filho Eucarístico, não teria te amado assim.

Fazei de todas as datas uma data e sobre elas escrevei: Amor; fazei de todos os dias um dia e sobre eles escrevei: Sacrifício.

Devo subir, esquecer-me, devo ser lâmpada, ardendo de amor por Ele.

Caminhar com pés na terra, olhar fixo no Céu, com a alma que tende a Deus e o coração ao próximo.

A minha casa está em todo lugar em que se encontre um Sacrário. A minha casa está ainda em todo lugar que não o haja, porque em todo lugar em que não o houver, eu devo levá-Lo com a minha alma.

Desejo que no coração de cada alma eleita haja um único lema: Vivo com a Igreja, a minha casa é a Igreja, a minha humildade encontro na Igreja, a minha força encontro na Igreja! Vivo com a Igreja, porque a Igreja foi abençoada por Cristo,  dela recebi a vida através dos Sacramentos; o meu pão encontro na Eucaristia, a humildade encontro na Hóstia, onde um Deus se esconde, cala, espera em silêncio, em um Sacrário obscuro…

ORAÇÃO
Pai Santo e Misericordioso, Tu revelastes à nossa irmã Flora Manfrinati, a esperança que brota da cruz e a sustentaste ao unir a Cristo Crucificado os seus muitos sofrimentos para se dedicar generosamente ao apostolado por intercessão da Virgem Maria invocada como Nossa Senhora Universal, infundi em nós a abundancia dos dons do Espírito Santo para que nos seja dado amar o escondimento laborioso, buscar a sabedoria que vem do alto; e reconhecer e valorizar a dignidade da mulher na família, na sociedade e na Igreja. Concedei a nós a graça de ver atendidas as orações que te dirigimos e a alegria de poder honrar a nossa irmã Flora no coro dos beatos, por Cristo Nosso Senhor. Amém

Pai Nosso, Ave Maria, Glória

GIOVANNI CARD. SALDARINI

Arcebispo de Turim


Obra de Nossa Senhora Universal, site (em italiano): http://www.istitutoflora.it/