Este belo escrito da Madre Maria Teresa Desandais,  foi editado e difundindo, na Espanha, pelo Servo de Deus Padre Arintero. Mostra-nos o Amor Misericordioso do Coração de Jesus, e nos ensina como orar, agradecer e confiar; nos ensina como pedir e o que pedir.

Novena perpétua ao Amor Misericordioso do Coração de Jesus

por intercessão de Maria Medianeira.

Pedir a Deus com confiança é obedecer a Jesus, honrar e regozijar seu Amor Misericordioso.

Jesus, o Filho único de Deus, o Amado do Pai, disse em seu Evangelho: “Pedi em meu nome”. “Tudo o que pedirdes vos será concedido”… “Pedi… a fim de que o Pai seja glorificado no Filho”.

Essas palavras nos revelam a disposição do Coração de nosso Deus com respeito a nós… Ele é Pai… infinitamente rico, infinitamente poderoso… infinitamente bom e infinitamente sábio… para dispensar seus benefícios a seus filhos.

É uma alegria para seu Coração fazer-nos bem e ver que acudimos a Ele em todas as nossas necessidades. Acudamos, pois, a Ele… primeiramente, por nós mesmos, pelos bens que d´Ele esperamos receber; mas também por Ele… para consolar seu Coração transbordante de amor, que tem necessidade de derramar-se sobre os indigentes… os necessitados para enchê-los de sua abundância.

O mesmo em nossas necessidades materiais que em nossas necessidades espirituais, venhamos a Ele… chamemos a porta seu Coração, de seu Amor Misericordioso. Esse ato de humildade e de confiança lhe dá honra e é ao mesmo tempo um testemunho de nossa fé, pelo qual testemunhamos que todos os bens se acham n´Ele e que estamos seguros da bondade de seu Coração.

Venhamos a Ele, por Maria, nossa Medianeira universal, em seus desígnios de amor… Isso alegrará ainda mais seu Divino Coração, que se compraz em receber as súplicas de sua Mãe e fazer passar pela mão dela suas graças e benefícios.

Com que disposições devemos pedir

Temos de pedir como pede o filho de um Deus… um filho que sabe que é afetuosamente amado por um Pai infinitamente rico, sábio e todo-poderoso.

Vamos a Maria, como fizeram os servos de Caná e Maria apresentará nosso pedido, e se Jesus parece não responder no momento como esperávamos, Maria nos sustentará em nossa espera e sussurrará ao ouvido de nosso coração. Tende confiança e “fazei tudo o que Ele vos disser

Não vemos que muitas vezes nossas súplicas não vão acompanhadas dessas disposições?… Frequentemente são feitas sem esses sentimentos de humildade, de paciência, de obediência… Nossa vontade não é a de um servo: pedimos com um querer determinado, cheio de exigência, que não tolera demora… se desespera, e em no atraso, perde a confiança… Se mudam os papéis e ousamos falar com nosso Deus como senhores, não queremos condição alguma… e quase o obrigamos por suas próprias palavras, se assim se pode falar, a nos obedecer.  É assim que se deve pedir…? Que disparate e que loucura pedir dessa maneira!… Se diria que ousamos nos crer e nos fazer superiores à Deus… Sabendo melhor que Ele o que nos convém! … Fazemos como a criança que queria forçar seu pai a lhe dar o faca com a qual há de se ferir.

Aprendamos nós, os amigos de Jesus, a orar e pedir como convém, expondo por meio de Maria nossas necessidades ao Coração de nosso Pai: “Não tem vinho”. “Senhor, vê que está enfermo aquele que amas”… e de antemão agradeçamos pelo favor e benefício que do Coração de Deus sairá para nós ou para nossos irmãos… porque nunca  alguma oração ficará sem fruto.

Se Deus atrasa em nos conceder, é para nos dar depois, segundo disse a Santa Gertrudes, três vezes mais do que necessitamos.

Se leva as pessoas que amamos, depois de que expusemos seu mal com uma fé sincera… é porque as quer em uma vida melhor; é para seu bem.

Agradecer antecipadamente. – Deus concede sempre o melhor

Tomemos o santo costume de agradecer antecipadamente a nosso bom Pai pela graça concedida, qualquer que ela seja… com a firme convicção de que obteremos o que desejamos, se há de ser para glória de Deus e bem das almas; e se não, obteremos algo ainda melhor.

Não conhecemos o Coração de nosso Pai Celestial, nem conhecemos seu Amor Misericordioso, daí provém tantas penas, inquietudes, tantas dificuldades em nos submeter… Se assim não fosse , bem poderíamos sentir a rebeldia da parte inferior, a repugnância, o temor natural, a apreensão… mas também experimentaríamos uma grande fortaleza para dizer com Jesus: Pai, não se faça minha vontade, senão a tua! Minha natureza queria a isenção do sofrimento para mim e para os meus, mas Tu sabes melhor que eu o que é razoável e bom… e como eu quero o melhor e mais conveniente, quero também por cima dos desejos de minha natureza, o que Tu queres, ó Deus meu!

Esse é meu último transe, o abandono… A pobre alma pede e clama com fortes gritos: Porque me abandonastes? Mas Maria nos recordará que é para que a alma faça o ato de amor supremo, o abandono no próprio abandono: Pai, em tuas mãos entrego meu espírito.

Comunhão dos santos – União a todos os que fazem a novena.

Temos de pedir, sobretudo, uns para os outros, a compreensão do Coração de Jesus, a compreensão do Amor infinito, misericordioso e paternal de seu Coração.

Unamo-nos a Novena perpétua ao Amor Misericordioso que se faz em muitas Comunidades de diferentes Ordens para estabelecer esta união dos Amigos do Coração de Jesus entre si…

Unamo-nos para pedir que todos os que fazem esta Novena recebem do Coração de Jesus, de seu Amor Misericordioso, a graça mais excelente para glória d´Ele, que é a própria salvação, ou o bem das pessoas que são encomendadas e sobretudo, um maior conhecimento do Amor de seu Coração, com um desejo mais ardente de corresponder a ele com fidelidade.

Unamo-nos para dar graças antecipadas por todos os que nem se lembram de fazê-lo nem o farão.

Atraiamos auxílios… dom de luz, dom de fortaleza… para que as almas recebem com fé e amor a graça que lhes for concedida, sem se turbar nem desconcertar, mesmo quando, no primeiro momento, essa graça pareça uma decepção para natureza, que não responde as necessidades nem ao que se esperava.

Pensais que por isso haveremos de ser menos atendidos? Isso seria não conhecer o Coração de Deus infinitamente bom, seria fazer-lhe inferior ao de um pai ou uma mãe terrenais, sendo assim que seu Coração é mais amante, mais terno, mais generoso, mais desinteressado, mais fiel que todos os coração de pais, mães e amigos reunidos em um só… Quem como Deus?

Creiamos nisso tão sinceramente para todas as graças de ordem temporal, querendo tudo o que Ele faça:

Creiamos nisso para todas as graças espirituais

Creiamos nisso para o Reinado de seu Coração, para os interesses de sua glória.

Mesmo quando muitas vezes não compreendamos no momento, posteriormente os acontecimentos nos obrigarão a exclamar: O Senhor é infinitamente bom e misericordioso, o que fez é bom. 

Que esta Novena ao Amor Misericordioso seja, sobretudo, a novena da glória de Deus, a novena da glória de seu Coração… É preciso que Deus seja glorificado… que o Pai glorifique o Filho, que o Filho glorifique o Pai, e que todos, movidos pelo Espírito de Amor exclamem: “Que bom é o Senhor! Eu bem sabia que era bom, mas não que fosse tão bom, nem que se ocupasse tanto de sua criatura”.

Invocar a S. Miguel

Invoquemos com esse fim a S. Miguel, o arcanjo da glória de Deus, para que com ele, com seu poder, impeça a ação dos espíritos malignos, os afaste dos que fazem essa novena e daqueles por quem se faz… a fim de que o Amor Misericordioso possa exercer sua ação sobre todos, fazendo-lhes experimentar os efeitos de sua divina bondade.

Súplica

Coração de Jesus, fazei-nos conhecer como sois na realidade… infinitamente bom… Amor Misericordioso!… Que todos acudam a Vós e vos glorifiquem em toda a terra!

Ó Jesus, fazei que conheçamos a Vós e conheçamos ao Pai, Amor Misericordioso como Vós, a fim de que o Pai seja glorificado em Vós e Vós no Pai… pelo Espírito Santo.

Advertências

Esta Novena se faz para glória do Amor Misericordioso e ao fim de atrair a nós seus favores e lhe dar assim ocasião para manifestar-se a nós, dilatando nossas almas, inclinando-as a fé e impulsionando-as ao amor… a levar uma vida de amor, na imitação de sua Bondade, e a tributar-lhe nossa gratidão em nome do mundo inteiro, contribuindo desta maneira a promover seu Reinado de Caridade.

Os que desejem fazer essa Novena, poderão se unir aos que a fazem em várias Comunidades e que começam nos dias 1º, 11 e 21 de cada mês. Nos meses que tem 31 dias se oferecerá um dia particular em ação de graças e com o fim de obter ao mesmo tempo o Reinado da Caridade.

Se aconselha encarecidamente se unir cada dia ás missas que se celebram em diferentes pontos, em honra do Amor Misericordioso do Coração de Jesus, à todas suas intenções e em nome de todas as criaturas.

Que se unam também com a maior frequência que possam durante o dia às missas que se celebram no mundo inteiro.

        350.000 missas cada 24 horas;

        4 elevações por segundo.

Não deixem de aproveitá-las e ofereçam-nas pelas intenções indicadas, cada hora, a cada meia hora se querem, em união com as almas que tem esse santo costume.

Essa união às missas que se celebram poderá se fazer com a seguinte fórmula:

Ó Jesus, Sacerdote-Hóstia, por Maria, eu me ofereço a Vós… Tenho fome de Vós… Me uno a Vós… Fazei-nos um conVosco.

Modo de fazer a Novena

As orações mais indicadas pela Santa Igreja são, para dizer cada dia:

O Pai Nosso, a mesma oração de Jesus ao Pai… que nós faremos com Ele, do fundo do coração;

A Ave Maria, recurso e invocação à Maria Medianeira;

O Glória, ação de graças antecipada pela graça obtida;

O Oferenda de Jesus ao Pai, que é o dom mais excelente que podemos fazer á Deus por Maria Medianeira, para glória sua, nossa ação de graças, nossa reparação, nossa súplica… a fim de dilatar seu Coração e atrair as graças de seu Amor Misericordioso sobre o mundo inteiro.

Orações para todos os dias

Pai Nosso, Ave Maria, Glória. Oferenda

Pai Santo, pelo Coração Imaculado de Maria, eu Vos ofereço Jesus, vosso Filho muito amado, e me ofereço a mim mesmo n´Ele, com Ele e por Ele, por todas as suas intenções e em nome de todas as criaturas[1]…. para glória e alegria de vosso Amor Misericordioso e para facilitar vosso Reinado de Amor e de Caridade.

Ó Maria Medianeira universal, Arca da Aliança, Rainha de Amor e Mãe de Misericórdia, rogai por nós.

Ó São Miguel Arcanjo, Principie da celestial Milícia, Porta-estandarte e Arauto do Rei de Amor Misericordioso, empregai teu poder em apartar todos os obstáculos e fazer que venha logo o Reinado de Caridade no mundo inteiro.

Práticas

A novena mais eficaz é aquela em que a oração vai acompanhada de atos de virtudes… a que se faz com maior amor e humildade… porque o segredo para ganhar o Coração de Deus é fazer-se pequenino.. e aproveitar as ocasiões de dizer sinceramente: “faltei… fiz mal.. não tenho razão”… desculpando e honrando o querido próximo…

Para cada dia de Novena

Dia 1º. Abandonar todas as coisas a Ele. Receber tudo d´Ele, em cada instante (Confiança e abandono).

Dia 2º: Aplicar-se a pensar, falar, agir como Ele, segundo as circunstâncias (Imitação).

Dia 3º: Unir-se a Ele em tudo o que se faz. (União)

Dia 4º: Fazer-lhe um “Céu de amor na alma”. (Recolhimento).

Dia 5º: Fazer de nossa vida uma “Comunhão perpétua” com sua Vontade divina, com seu atual beneplácito. (Fidelidade ao dever do momento)

Dia 6º: Oferecer em união com Jesus ao Pai incessantemente… em todas as nossas ações, em nome de todas as criaturas. (Oferenda).

Dia 7º: Fazer-lhe uma “Festa perpétua”, vivendo sempre contentes com tudo que nos acontece, com tudo que Ele faz ou permite (Alegria e agradecimento)

Dia 8º: Esforçar-se para ser bons como Ele é bom, e misericordioso como Ele… (Caridade).

Dia 9º.: Esqueçamos de nós mesmos e de todas as nossas penas e aflições, pensando que Ele é feliz. Assim seremos felizes com Ele (Esquecimento próprio e puro amor de Deus).

Dia 10º: Na sagrada Comunhão, comungar o Amor, levá-lo consigo… e aplicar-se a poder dizer de verdade, em nossa conduta:

 Vivo, mas não sou eu… é o Amor,

“o Amor Misericordioso” que vive em mim…”

P.M. SULAMITIS.

* * *

NIHIL OBSTAT

FR. IGNATIUS G. M. – REIGADA OP.

Censor.

Imprimatur:

Salmanticae, die 23 Julii 1930.

FRANCISCUS, Episcopus Salmantinus.


[1] 300 dias de indulgência cada vez e indulgencia plenária recitando-a durante um mês e confessando, comungando e orando pela intenção do Sua Santidade. (Pio XI, 10 de junho de 1923)