VIVÊNCIAS QUARESMAIS

DA SERVA DE DEUS

MADRE MARIA DAS DORES E PATROCÍNIO

NO DESTERRO DA FRANÇA 1874

Escrito por sua secretária Rvda. Madre Isabel de Jesus

(1ª edição “VIDA ADMIRABLE”; 2ª edição “SOR PATROCINIO”)

Os ofícios da SEMANA SANTA se celebravam com toda solenidade, assistiam os seminaristas do Seminário de São Martinho de Pau [na França] e das zonas rurais próximas, especialmente na Semana Santa.

nazareno

JESUS NAZARENO, ainda hoje venerada pelas filhas da Madre Patrocínio

Um dos atos de culto mais comovedores que celebrávamos em nossa Capelinha de Pau [na França] era o canto do MISERERE nas sextas-feiras da Quaresma, assistindo uma grande quantidade de féis, se cantava diante de uma belíssima imagem de JESUS NAZARENO que tínhamos trazido da Espanha, ao sermos expatriadas, fac-símile da que se venera em Madri.

Nesta devotíssima Imagem nossa, vimos coisas maravilhosas, como baixar a cabeça, elevar os olhos e baixa-los, e quando nos mudamos de Bonneuil a Anglet [na França], sem ninguém o solicitar e sem o esperar, nos trouxe um caixa muito grande um homem desconhecido. Não tínhamos mandado a estação nenhum aviso de chegada. Com imensa alegria de nossas almas vimos neste fato graça especialíssima desta Sagrada Imagem.

Eu mesma limpei a Face do Senhor desta Imagem venerada e o paninho ficou impregnado de um suavíssimo aroma sendo a admiração das religiosas, louvando a Deus por isso. Sempre e em todas as partes tivemos e seguiremos tendo grande devoção a esse divino JESUS NAZARENO, por seu meio, nos concedeu o Senhor bens incontáveis, no corpo e na alma. Pelo qual rogo as nossas religiosas que doravante, sigam a tradição da Serva de Deus e de suas companheiras de imigração, procurando tributar a tão peregrina Imagem de JESUS NAZARENO, o maior e puro culto público e privado, de adoração e de amor.


Ver também: Vivências Quaresmais da Madre Patrocínio  2 – No Mosteiro de Manzanares