Venerável Madre Luísa Margarida Claret de la Touche

(1868-1915)

Obra do Amor Infinito

QUERO QUE OS MEUS SACERDOTES SEJAM SEMEADORES DE AMOR

 Uma mulher pelo sacerdócio

D. Pier Giorgio Debernardi

Bispo de Pinerolo

 

Na história da Igreja destes últimos dois séculos foram numerosas as pessoas que receberam do Senhor a missão de oferecer a sua vida pela santificação do clero, uma maternidade espiritual para ajudá-los a viver com entusiasmo a sua vocação.

Quero apresentar a vida, o carisma e a missão da Venerável Madre Luísa Margarida Claret de la Touche, monja da Visitação [1], que com a imolação de sua vida e os seus escritos, chamou os sacerdotes à experimentar o amor do Senhor para doá-lo através de seu ministério.

Padre Philippe Vercoustre, dominicano, escreveu uma biografia desta irmã que na tradução italiana é intitulada: “Uma mulher pelo sacerdócio” (Ed. Gribaudi, Torino 1988). Não é um título de efeito, mas corresponde à verdade. Mais uma vez foi chamada uma mulher para levar um anúncio, transmitir uma mensagem, despertar energias, impulsionar à missão.

A jovem Margarida

Margarida Claret de la Touche nasce em Saint-Germain-en-Lay (França) em 15 de março de 1868. Órfã de pai aos sete anos, teve da mãe uma educação muito severa, baseada no dever, mais que no amor. Pertencendo a uma família burguesa e abastada, o seu teor de vida era bastante mundano e frívolo, ainda que moralmente irrepreensível. Experimentou o amor humano enamorando-se por um brilhante cadete da Academia Militar de Valence. Contudo a ação da graça foi mais forte e abriu o coração de Margarida à vida religiosa. Entrou no mosteiro da Visitação de Romans (diocese de Valence, na França) em 20 de novembro de 1890, tomando o nome de Luísa Margarida.



Este conteúdo é restrito a usuários cadastrados. Se você já tem cadastro, por favor, faça o login para liberar o acesso.

Novos usuários podem fazer o cadastro GRATUITO no final da página.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório