Jesus, o Caminho da Perfeição

Serva de Deus Madre Maria dos Anjos Sorazu, OIC

“Pela manhã, meu Senhor Jesus Cristo teve a bondade de revelar-se a minha pobre alma como amante divinamente satisfeito e agradecido em certo sentido.

Com uma insinuação que revela seu infinito amor e entusiasmo por sua humilde escrava, e quão contente e satisfeito está comigo por minha inviolável adesão a Ele, me disse ou me mostrou que quer por meio de mim ensinar a muitas almas a caminhar para perfeição pelo sendeiro e na forma que mais lhe agrada e maior glória e complacência lhe dá, cujo sendeiro é Ele mesmo, que me conduziu ao grau de contemplação e união divino que possuo por sua infinita misericórdia.

Confirmou-me o que muitas vezes me mostrou, isto é, que a imensa maioria das almas piedosas que cultivam a vida interior e consagram tempo notável a oração, passam sua vida saboreando tratados de teologia mística, estudando a si mesmas para ver se vão conforme com o que ordenam e ensinam os mesmos, melhor dizendo, para ver se a oração produz nelas os fenômenos que acompanham a união divina, e não cuidam em nada ou cuidam muito pouco de estudar os mistérios de sua vida santíssima que a Igreja, governada pelo Espírito Santo põe a nossa consideração no Santo Rosário; e o espírito e ensinamentos divinos do próprio Jesus consignadas no Evangelho, que é o substancial e pelo qual devemos regular nossa conduta e o meio breve e seguro que conduz a união com Deus.

Vi o muito que desagradam a Jesus ditas almas tacanhas e egoístas, e a glória e complacências que lhe dão as que O buscam, sem interesse, pela prática das virtudes que resplandecem nos mistérios de sua vida mortal e  o Santo Evangelho contém, tais almas lhe são muito queridas, são como copias vivas de sua divina Pessoa Humanada” (Diário, 10 de maio de 1918)

Fonte: M. Angeles Sorazu. Autobiografia espiritual. 1990, p. 520