Judas, com um beijo trais o Filho do Homem!” (Lc 22, 48)

Serva de Deus Irmã Consolata

 Do Diário da Serva de Deus Irmã Maria Consolata Betrone, Clarissa capuchinha (1903 —1943), Apóstola do Ato Incessante de Amor, cuja vida foi toda dedicada e oferecida pelos “Fratelli”, isto é, os sacerdotes.


29 de março de 1934, da quinta para sexta-feira santa, às 12.00 horas

“Jesus chora falando-me de Judas; choro com Ele:

Amava-o tanto, tanto; era um dos Meus, fiz de tudo para salvá-lo, mas do seu coração endurecido não pude tirar nada, nem um mínimo sinal! Judas foi o primeiro elo de uma interminável corrente que dura vinte séculos! Quantas almas arrastaram à condenação os traidores, os apóstatas!

Oh! Consolata, se te dás como vítima, se aceitas todo o sofrer, Eu unirei a tua paixão à Minha, o teu sangue ao Meu, e oferecerei a esses traidores e apóstatas a redenção. Não, não temas, serei a tua fidelidade, a tua generosidade, porque tudo o que é Meu, dou a ti”.

– Sim, ó Jesus, conTigo, pelas mãos de Maria, me dou ao Pai como vítima de holocausto, com um “Sim” a tudo o que Ele quererá de mim!”

(In: Suor Consolata Betrone. Appunti in coro: diari. pg. 220. Diario 3)