Um cântico para se cantar com a vida

do Servo de Deus Padre Dolindo Ruotolo (1882 – 1970)

O Padre Dolindo sugeria esta oração para as almas que dirigia:

Tu somente és tudo, ó meu Deus, eu te adoro no profundo do meu nada.

A minha alma suspira por ti, porque só tu és meu Pai.

As minhas promessas seriam vãs, ó meu Deus, e eu só te prometo a tua Vontade.

Aquilo que tu queres, ó Senhor, eis o meu voto,  aquilo que dispondes para mim: eis a minha imolação.

Amo-te e que o meu amor seja para ti o sorriso do meu pobre espírito.

Eu não te prometo nada de especial, ó meu Deus, eis o teu servo, seja feito em mim segundo tua Vontade.

Quero obedecer porque tu me mandas, não por temor da reprovação da culpa.

Quero esconder-me porque sou nada, não já me esforçando, quase como se fosse qualquer coisa de importante.

Quero trabalhar porque me mandas e a minha operação deves ser tu, porque não sou bom para nada.

Tu és minha vida, ó Senhor!

Sou cheio de defeitos; cura-me, Jesus, porque tu és o meu médico.

Sou cheio de ignorância; ensina-me, ó Jesus, porque tu és meu Mestre.

Sou cheio de incerteza; guia-me, ó Jesus, porque tu és o meu tudo.

Em tudo verei a ti.

Nos meus superiores verei a ti que me mandas.

Na Igreja, tu que te revelas e operas.

No mundo, todo o teu esplendor.

Em mim, tua misericórdia.

Nas minhas próprias misérias sentirei forte a necessidade de oferecer-me a ti em tudo.

Meu Deus, meu Deus, eu sou nada:

Guia-me tu no caminho dos teus preceitos, porque tu mesmo dilataste o meu coração.

Manda-me, ó bom Jesus, apertando-me junto a ti, como ovelha tua, ó Jesus, nosso bom pastor…

Enche-me de santa humildade que tudo esconde e só faz ressaltar a ti.

Sejas tu para nós toda a nossa regra, o nosso voto, a nossa vida.

Amém.

(in: Dolindo Ruotolo. Fui chiamato Dolindo, che significa dolore… … pagine d’autobiografia)