Servo de Deus Mons. Luís Maria Martínez

“O Hóspede dulcíssimo da alma não permanece ocioso em seu santuário íntimo. Como é fogo e amor – ignis, caritas, como o chama a Igreja – apenas toma posse da alma, estende sua influência bem-feitora a todo ser humano e começa com a divina atividade sua obra de transformação.

Vive no centro da alma, nessa região profunda da vontade na qual Ele mesmo difundiu a caridade; mas se derrama, por assim dizer, em todo o homem com a divina unção, como aquele sagrado perfume de que fala a Escritura, que desce da cabeça de Aarão por sua barba florida e se derrama por suas vestes até a orla de seu manto.

Como o conquistador que ao tomar posse de um reino põe em cada cidade quem execute a suas ordens e seja como órgão de sua ação no governo que conquistou, assim o Espírito Santo, amoroso conquistador das almas, põe em cada uma de suas faculdades dons divinos, para que o homem receba, por suas inspirações santas, seu influxo vivificante.

Na inteligência, faculdade suprema do espírito, que irradia a lua e a ordem sobre todo o ser humano, infunde os dons da sabedoria, do entendimento, do conselho e da ciência; na vontade, no dom da piedade e até a região inferior dos apetites sensíveis põe os dons da fortaleza e do temor de Deus.

Por meio destes dons, o Espírito Santo se move em todo o homem, se converte em diretor da vida sobrenatural; mais ainda, é alma de nossa alma e vida de nossa vida.

Se o homem não tiver que realizar mais que uma obra de aperfeiçoamento moral, adequado à sua natureza, bastaria a razão humana, um lampejo da luz de Deus, para dirigir a vida do Espírito; mas a obra que deve se realizar no homem é divina, já dissemos, é a reprodução de Jesus, obra mestra de Deus, e para uma obra tão alta é necessária a direção do Espírito Santo.

Sem esta direção a santidade é impossível, como é impossível obter uma obra de arte acabada e perfeita sem a direção de um mestre.

O Mestre íntimo das almas é o Espírito Santo, assim nos ensinou Jesus no divino sermão da Ceia: “O Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito”.

Do livro “A verdadeira devoção ao Espírito Santo” (Ed. Ecclesiae), do Servo de Deus Mons. Luís Maria Martínez (1881-1956), Arcebispo da Cidade do México, grande escritor místico e destacado diretor espiritual.