dos escritos da Serva de Deus Madre Maria dos Anjos Sorazu


“No ano de 1901, creio que no mês de setembro, uma tarde, rezando Matinas no coro, vi a Santíssima Virgem no centro do coro, radiante de majestade e beleza, completamente ensimesmada.

Senti vivíssimo interesse de saber qual era o objeto que mantinha a Senhora em tão profundo recolhimento, como que abismada em seu próprio seio.

Tornou-se transparente o interior de Maria, e eu o vi transformado em templo de cor vermelho vivo com reflexos de amarelo em forma de templo vastíssimo, que se perdia em uma espécie de infinidade.

No centro apareceu o Menino Deus, primeiro deitado, como se estivesse no presépio; um momento depois se sentou e se ergueu, e fixando seus divinos olhos em todas as direções pronunciou estas palavras:  Vacate et videte quoniam ego sum Deus.



Este conteúdo é restrito a usuários cadastrados. Se você já tem cadastro, por favor, faça o login para liberar o acesso.

Novos usuários podem fazer o cadastro GRATUITO no final da página.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório