Devoção aos Sacrários

A missão que te confiei, são os Sacrários e os pecadores.

Em 13 de outubro de 1955, encontrava seu divino Esposo, a Beata Alexandrina Maria da Costa, uma das maiores místicas do século XX.

Um dos traços mais característicos da espiritualidade desta grande mística Portuguesa é, sem sombra de dúvidas, sua matiz eucarística.

Em seus colóquios amorosos com o Senhor, Ele lhe mostrou sua missão eucarística na Igreja: “Os Sacrários serão a sua missão na terra…”

Para celebrar sua Festa, compilamos aqui algumas passagens destes colóquios, destinados a ajudar nossa meditação, para que também nós, acolhendo os apelos do Senhor, possamos nos tornar almas eucarísticas.


“Escreve que eu quero que se pregue a devoção aos Sacrários; que quero que se acenda nas almas a devoção para com estas prisões de Amor; não aqui somente por amor daqueles que Me amam, mas por todos; em todo o trabalho Me podem consolar; que seja bem pregada e bem propagada a devoção aos Sacrários, porque são tantos aqueles que, embora entrando na igreja, nem sequer Me saúdam e não param um momento a adorar-Me. Eu quereria muitos guardas fiéis, prostrados diante dos Sacrários, para impedirem tantos e tantos crimes” (1/11/1934)

Novenas: Beata Alexandrina de Balazar

 “Faze com que Eu seja amado por todos, no Meu Sacramento de Amor, o maior dos Sacramentos, o maior milagre da Minha Sabedoria” (01/11/1934)

“Não te abandones ao sono; vai passar um pouco de tempo coMigo nos Sacrários” (01/11/1934)

 “Alerta nos meus Sacrários, estou sozinho em tantos, tantos! Passam-se dias e dias que Me não visitam e não Me amam e não Me desagravam; quando lá vão, é por um hábito, por uma obrigação”. (01/11/1934)”

 “Anda para a minha escola, aprende com o teu Jesus o amor ao silêncio, a humildade, a obediência e o abandono”(15/10/1934)

“Ama a solidão. Anda para os meus Sacrários. É lá onde aprendes. É lá onde é mais praticada anos e séculos” (09/12/1934)

“Tudo aquilo que os adoradores Me pedem na Santíssima Eucaristia será concedido; é a medicina para todos os males… Que rezem pelos infelizes pecadores, os quais, escravos das paixões, não se lembram de que têm uma alma para salvar e que uma eternidade em breve os espera” (03/04/1935)

Amor aos Sacrários

PRESENÇA REAL NA HÓSTIA SANTA! | Espaço de Sol

Apresentamos também este belíssimo Hino, verdadeira e pura poesia, brotada da alma da Beata Alexandrina, que poderá nos ajudar a crescer no amor a Jesus Sacramentado.


“Ó Jesus, cá está a Mãezinha, escutai-a, é Ela quem Vos vai falar por mim.

Ó querida Mãezinha do Céu, ide dar beijinhos aos sacrários, beijos sem conta, abraços sem conta, mimos sem conta, carícias sem conta, tudo para Jesus sacramentado, tudo para a Santíssima Trindade, tudo para Vós.

Multiplicai-os muito, muito e dai-os de um puro e santo amor, dum amor que não possa mais amar, cheios de umas santas saudades por não poder ir eu beijar e abraçar a Jesus sacramentado e à Santíssima Trindade, a Vós, minha Mãe querida.

Ó meu Jesus, eu quero que cada dor que sentir, cada palpitação do meu coração, cada vez que respirar, cada segundo das horas que passar, sejam actos de amor para os vossos Sacrários.

Eu quero que cada movimento dos meus pés, das minhas mãos, dos meus lábios, da minha língua, cada vez que abrir os meus olhos ou os fechar, cada lágrima, cada sorriso, cada alegria, cada tristeza, cada atribulação, cada distracção, contrariedades ou desgostos, sejam actos de amor para os vossos Sacrários.

Eu quero que cada letra das orações que reze, ou oiça rezar, cada palavra que pronuncie ou ouça pronunciar, que leia ou ouça ler, que escreva ou veja escrever, que cante ou ouça cantar, sejam actos de amor para os vossos Sacrários.

Eu quero que cada beijinho que Vos der nas vossas santas imagens ou da vossa e minha querida Mãezinha, nos vossos santos ou santas, sejam actos de amor para os vossos Sacrários.

Ó Jesus, eu quero que cada gotinha de chuva que cai do céu para a terra, toda a água que o mundo encerra, oferecida às gotas, todas as areias do mar e tudo o que o mar contém, sejam actos de amor para os vossos Sacrários.

Eu Vos ofereço as folhas das árvores, todos os frutos que elas possam ter, as florzinhas oferecidas pétala por pétala, todos os grãozinhos de sementes e cereais que possa haver no mundo, e tudo o que contêm os jardins, campos, prados e montes, ofereço tudo como actos de amor para os vossos Sacrários.

Ó Jesus, eu Vos ofereço as penas das avezinhas, o gorjeio das mesmas, os pêlos e as vozes de todos os animais, como actos de amor para os vossos Sacrários.

Ó Jesus, eu Vos ofereço o dia e a noite, o calor e o frio, o vento, a neve, a lua, o luar, o sol, a escuridão, as estrelas do firmamento, o meu dormir, o meu sonhar, como actos de amor para os vossos Sacrários.

Ó Jesus, eu Vos ofereço tudo o que o mundo encerra, todas as grande­zas, riquezas e tesouros do mundo, tudo quanto se passar em mim, tudo quanto tenho costume de oferecer-Vos, tudo quanto se possa imaginar, como actos de amor para os vossos Sacrários.

Ó Jesus, aceitai o Céu, a terra, o mar, tudo, tudo quanto neles se encerra, como se esse tudo fosse meu e de tudo pudesse dispor e oferecer-Vos como actos de amor para os vossos Sacrários.


Cf. Pe. Humberto Pasquale. Beata Alexandrina. Edições Salesianas.

Pe. Alberto Tavares. A Mensagem da Alexandrina. Edições Boa Nova.